Especialidades > Angiologia e Cirurgia Vascular > Doenças

Doença obstrutiva arterial periférica

A Doença Arterial Obstrutiva Periférica é a oclusão ou estreitamento da luz dos vasos sanguíneos arteriais, responsáveis por levar o sangue para nutrir as extremidades como braços e pernas, sendo mais comum o acometimento nos membros inferiores do que nos superiores. É mais frequente nos homens, mas também pode acometer as mulheres.

A causa mais comum desta doença é a aterosclerose, na qual ocorre o acúmulo de placas de ateroma (gordura, proteínas, cálcio e células da inflamação) na parede dos vasos sanguíneos.

Imagem Doença Obstrutiva Arterial Periférica

Principais fatores de risco

Tabagismo, diabetes, hipercolesterolemia e sexo masculino.

 

Sintomas

  • Dificuldade para caminhar manifestando dor no pé e panturrilha, eventualmente na coxa e glúteo do membro acometido, e que cessa depois de alguns minutos de repouso;
  • Nos casos mais avançados pode ocorrer impotência sexual (disfunção erétil), dor nas pernas mesmo quando em repouso, redução da temperatura das pernas e eventualmente aparecimento de feridas ou gangrena nos pés pela condição de extrema falta de circulação;
  • Escassez de pelos nas pernas ou pés;
  • Músculos da panturrilha com hipotrofia (menos desenvolvidos);
  • Úlceras dolorosas nos pés ou dedos dos pés (geralmente escurecidas, com aspecto de tecidos desvitalizados);
  • Palidez da pele ou cor azulada/arroxeada nos dedos ou nos pés (cianose);
  • Unhas dos dedos dos pés quebradiças.
 

Diagnóstico

Exame clínico através da palpação dos pulsos.

Além disso, exames como Ultrassom com Doppler, angiotomografia, Angiorressonância Magnética e Angiografia (o cateterismo direto de uma artéria) auxiliam no diagnóstico e planejamento cirúrgico (caso haja indicação para o tratamento invasivo).

 

Tratamento

O tratamento inicial se baseia em uso de medicações, controle dos fatores de risco e atividades físicas programadas.

O tratamento cirúrgico pode ser convencional (aberto) ou endovascular.

No tratamento convencional realiza-se pontes (bypass) com a própria veia safena do paciente ou próteses vasculares sintéticas.

O tratamento endovascular é realizado através do implante de stents ou dilatação das artérias acometidas com balões.


1
Olá, posso te ajudar?
Powered by